Os 5 principais objetivos – e resultados – da PNRS

Desde estimular o consumo consciente até alavancar os investimentos em PDI para criação de novas soluções e tecnologias limpas, a PNRS tem sido fundamental em seus quase 12 anos para promoção do desenvolvimento sustentável do Brasil.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que chega aos seus 12 anos de vigência, em agosto 2022, passou por recentes aprimoramentos. Em especial, fortalecendo o papel da Logística Reversa. Em todo esse tempo, não desviou de 5 objetivos principais, definidos para garantir seu papel decisivo na promoção do desenvolvimento sustentável em nosso País. O IBER apresenta essas metas e como elas contribuem para o futuro do Brasil:

01) Estimular padrões sustentáveis na produção e consumo
Ao definir obrigações, metas e normas para os responsáveis por atividades geradoras de resíduos, a PNRS promove, diretamente, a adoção de novas práticas e processos sustentáveis. As empresas que passaram a ser adimplentes de forma mais rápida, perceberam a resposta positiva dos consumidores. E, agora, são os clientes que têm demandado das organizações das quais consomem produtos e serviços o cumprimento da legislação.

02) Incentivo à cadeia produtiva de reciclagem
Ao listar os materiais cuja reciclagem e reaproveitamento são obrigatórios no País, a PNRS atuou fortemente no fomento ao uso de matérias-primas e insumos de produtos reciclados. O resultado? Empresas perceberam a redução nos custos, a otimização dos estoques, os avanços na linha de produção e, mais uma vez, a resposta positiva dos clientes. E, com isso, passaram a demandar a formação de novos negócios especializados em reciclagem, gerando mais oportunidades, emprego e renda no Brasil.

03) Fortalecimento do conceito “Reduzir, Reutilizar e Reciclar”
Em diversas organizações, o impacto da PNRS foi revolucionário. Não só perceberam que a utilização de insumos reciclados era mais eficiente e sustentável, como desenvolveram e passaram a adotar processos de reutilização interna do que antes era descartado. Reflexo das obrigações constantes nos planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Atrelado a isso, as empresas passaram a entender que reduzir o volume de resíduos também é minimizar custos e riscos.

04) Desenvolvimento de novas tecnologias verdes
Não foi apenas o mercado de energias renováveis que cresceu exponencialmente no Brasil nos últimos 12 anos. Novas tecnologias limpas para atenuar os impactos ambientais de processos produtivos também ganharam escala. Hoje, dentro dos investimentos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PDI) das organizações, novas soluções sustentáveis passaram a ser prioritárias.

05) Proteção à Saúde
Ao atacar diretamente, com sanções severas, o descarte incorreto, a poluição ambiental e falta de comprovação da logística reversa de resíduos tóxicos e perigosos, a PNRS garantiu ampla proteção à saúde dos brasileiros. Menor taxa de contaminação de solo, ar e recursos hídricos são efeitos positivos promovidos de forma quase imediata pela redução no descarte em aterros sanitários e promoção da Economia Circular.

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Imprimir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também:

Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil - 2022
5º Seminário Paranaense de Logística Reversa
IBER e ABRAMPA em Porto Velho debatem sobre a implementação da PNRS

Categorias

Categorias

Nossas redes

Fique bem informado

Cadastre-se para receber a newsletter e outras informações.