IBER e município de Toledo (PR) avançam na implementação de projeto-piloto 

O Instituto Brasileiro de Energia Reciclável (IBER) e a Prefeitura de Toledo (PR) avançam no planejamento para implementação de um projeto-piloto na cidade para validação das empresas que comercializam baterias de chumbo-ácido no varejo. Desde o início de janeiro estão construindo a quatro mãos uma estratégia, que inclui um Projeto de Lei municipal que auxiliará na fiscalização de empresas do setor de baterias e o cumprimento de suas obrigações ambientais expressa na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e outros instrumentos locais. Atualmente, a necessidade de implementar e comprovar um sistema de logística reversa está expressa nas diretrizes do Termo de Compromisso assinado pelo IBER e o Estado do Paraná, por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, e no Acordo Setorial firmado com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), cuja abrangência é nacional. 

Foi realizada uma apresentação completa dos serviços fornecidos pelo IBER e o seu papel na cadeia de logística reversa de baterias no País ao município de Toledo. Até então, não havia como validar o sistema de logística reversa da cadeia. Agora, com a solução desenhada pelo IBER há plenas condições de adequar as empresas de Toledo à PNRS para fabricantes, recicladores, importadores, distribuidores e comerciantes varejistas”, explica a diretora executiva do IBER, Amanda Schneider. 

Por ser a entidade reconhecida pelas autoridades ambientais do País, a validação do IBER é a comprovação de que a destinação das baterias é realizada de maneira sustentável pelas empresas do comércio varejista de Toledo. O IBER é a primeira organização brasileira a desenvolver uma plataforma inteligente de apoio à cadeia de reciclagem de baterias chumbo-ácido. 

O processo de validação é fundamental também para implementação de uma jornada de melhorias contínuas. O IBER apoia esse movimento junto aos seus 170 associados, de forma que as empresas que se encontram em estágio de aprimoramento não fiquem expostas e participem de um sistema capaz de contribuir para o atingimento de suas metas e obrigações. 

O projeto-piloto em debate terá início após a aprovação do Projeto de Lei, que vem sendo elaborado e deverá ser apreciado até março deste ano. “O momento é oportuno. A cidade está debatendo suas principais legislações, em especial o Plano Diretor. Realizaremos mais reuniões com a equipe da Prefeitura ainda em janeiro, mas já contamos com amplo entendimento do secretário municipal Neudi Mosconoi”, reforçou Amanda. 

Comentários